I Boletim- Ação Empreendedora: estudo de caso em uma cooperativa

O empreendedorismo está relacionado com a forma que um determinado indivíduo é capaz de criar e desenvolver oportunidades, sendo um tema multidisciplinar (MACHADO; NASSIF, 2014). Assim, o foco deste artigo perpassa pelo empreendedorismo social, que tem como objetivo a promoção do valor social, para assim alterar uma realidade na qual ocorrem problemas sociais (GAIOTTO, 2016). 

O estudo foi realizado em uma cooperativa localizada na Zona da Mata Mineira, que representa uma forma de empreendedorismo social, visto que seu objetivo é solucionar problemas sociais existentes no ambiente em que ela está inserida (COOP, 2019). Ainda de acordo com Coop (2019), uma cooperativa é um ambiente gerido democraticamente, em que os cidadãos associam-se buscando satisfazer interesses culturais, econômicos e sociais.

A ação empreendedora foi a base de análise do estudo, já que através dessa perspectiva é possível analisar a interação entre os indivíduos e a sociedade (GOMES et al., 2013). Assim, os indivíduos atuam através da ação empreendedora, podendo realizar mudanças e impactar a sociedade solucionando problemas.

A questão norteadora deste estudo de caso foi: as ações praticadas em uma cooperativa de ensino podem ser entendidas pela perspectiva da ação empreendedora? E o objetivo geral foi analisar e entender as ações da cooperativa através da perspectiva da ação empreendedora. A pesquisa foi qualitativa, e a coleta de dados foi realizada através de entrevistas com as diretoras pedagógicas e a presidente da cooperativa, que possuíam maior experiência sobre o funcionamento da escola. 

Como resultados, a análise de uma ação da cooperativa foi feita através da ação empreendedora que é composta por sete etapas em seu ciclo: tensão institucional, lógica institucional, criatividade, inovação, liberdade, interação social e responsabilidade social. A escola/cooperativa possui um sistema bilíngue desde 2019, e são ministradas aulas de inglês de acordo com um nivelamento, em que cada aluno teria aulas de acordo com seu nível de conhecimento sobre a língua.

Assim, a tensão institucional demandou uma modificação no sistema, e os indivíduos buscaram uma solução a partir de seus valores e experiências, utilizando a inovação. Nesse caso, observou-se uma demanda com relação ao ensino de língua inglesa, pois muitos alunos da cooperativa possuíam contato com o exterior. A solução encontrada foi a inserção de mais aulas de inglês e uma interação do idioma com outras disciplinas, permitindo a prática do conteúdo. 

Constatou-se que as etapas do ciclo da ação empreendedora foram observadas durante todo o processo de implementação da solução, e que a liberdade e a interação social foram importantes para essa construção, propiciando a participação da comunidade. De acordo com a teoria da ação empreendedora, pode-se observar que ela pode ser utilizada como viés de análise em ambientes organizacionais específicos, e que o empreendedorismo social é capaz de impactar de fato a sociedade. 

 

Referências: 

[Coop], I. C. A. (2019). Cooperative Principles. GAIOTTO, Sergio Augusto Vallim. Empreendedorismo Social: um estudo bibliométrico sobre a produção nacional e internacional. REGEPE-Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v. 5, n. 2, p. 101-123, 2016.

MACHADO, Hilka Pelizza Vier; NASSIF, Vânia Maria Jorge. Réplica-Empreendedores: reflexões sobre concepções históricas e contemporâneas. Revista de Administração Contemporânea, v. 18, n. 6, p. 892-899, 2014.

SOARES, Marina Bastos; ANDRADE, Daniela Meirelles; ASSIS, Camila; GODINHO, Marcella de Abreu. Ação empreendedora: Um estudo de caso em uma cooperativa. VIII Encontro Brasileiro de Administração Pública, Brasília/DF. Sociedade Brasileira de Administração Pública (SBAP), 2021. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *